sábado, 30 de junho de 2007

José Sobral de Almada Negreiros (1893 - 1970)
Século: XX
s/d
óleo sobre tela
131 x 166 cm
Centro de Arte Moderna (Lisboa)


Liberdade
Sophia de Mello Breyner Andresen



Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

Seguidores

Povo que canta não pode morrer...

Beirute.Nantes

Loading...

Arquivo do blogue

Pesquisar neste blogue

Acerca de mim

A minha foto

"A coisa mais fina do mundo é o sentimento. " (Ensinamento) Adélia Prado