sábado, 30 de dezembro de 2006

Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.


 Carlos Drummond de Andrade

Texto extraído do "Jornal do Brasil", Dezembro/1997.

in http://www.releituras.com/drummond_dezembro.asp

VOTOS PARA 2007 - EM BOM GALEGO !


Aqui vos deixo, este postal que me foi hoje enviado por uma amiga portuguesa, antropologa errante, algures a cirandar entre o Minho e a verde Galicia, em missões de entreculturas! Gostei da ideia e da esperanza da mensagem ! AMÉM (digo eu ... )

sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Em contraNatal, em contraTempo - Sara é, AGORA, só notícia ...



29.12.2006 - 07h53 Tânia Laranjo in http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1280996

Sara
, a menina de dois anos e meio que anteontem morreu em Monção, apresentava indícios de ter sido violentamente agredida em diversas partes do corpo.
A última agressão, a murro e a pontapé, poderá ter acontecido na manhã de terça-feira, duas horas antes de morrer. Terá sido na sequência dessa última cena de maus tratos que
Sara sofreu a hemorragia que se revelou fatal.Estas são, pelo menos, as conclusões dos investigadores da Polícia Judiciária que já estão na posse dos resultados preliminares da autópsia. A mãe de Sara, uma mulher franzina de 24 anos, também já declarou admitir o crime, embora tivesse negado a intenção de matar a criança. O que a levou a cometer tais agressões é, para já, uma incógnita, mas ela será hoje de manhã ouvida pelo juiz de turno, no Tribunal de Monção, por indícios do crime de maus tratos agravados pelo resultado. Ontem, esteve a tarde toda a ser interrogada pela Polícia Judiciária, ainda passou, acompanhada por três inspectores, pelo apartamento onde vive, mas já não regressou a casa. Acabou por sair às 20h30 do Tribunal de Monção, em frente ao qual se agrupara uma pequena multidão, durante horas. Saiu escoltada por agentes e ficou à guarda da PJ de Braga.O estranho é que Sara tinha três irmãos, mas nenhum deles apresentava indícios de maus tratos.Ontem, os três foram retirados provisoriamente da guarda da família. O pai, pedreiro, parece não estar envolvido nos actos violentos infligidos a Sara. Diz que saía de casa todos os dias às seis da manhã e só regressava à noite e que nunca se terá apercebido de maus tratos. As últimas agressões terão ocorrido na noite de segunda-feira e na manhã do dia seguinte. A primeira aconteceu pelas 21h00 e as autoridades acreditam que Sara foi lançada das escadas exteriores do apartamento, após ter sido esbofeteada e pontapeada. Durante a manhã, já depois do pai ter saído, a mãe terá voltado a agredi-la. Violentamente e em várias partes do corpo. Designadamente na cabeça, onde a criança acabou por sofrer várias hemorragias que lhe provocaram a morte. Ontem de manhã, enquanto a autópsia da criança estava a ser realizada, os inspectores da Polícia Judiciária estavam já a interrogar a mãe, no infantário da Santa Casa da Misericórdia de Monção que os filhos frequentam desde o início de Novembro. Ouviram pacientemente a sua versão - que a criança caíra das escadas, quando se encontrava na companhia dos irmãos - e fizeram peritagens ao local. Os resultados médico-legais chegaram ao princípio da tarde. As lesões que a menina apresentava eram várias e não eram compatíveis com uma queda. Espalhavam-se pelo corpo e algumas não eram recentes. A mãe voltou a ser interrogada, agora já na presença do magistrado do Ministério Público de Monção. Acabou por declarar que batera na filha, sem explicar as razões que a levaram a agir daquela forma.


Ajuda chega tarde de mais
As marcas no corpo de Sara eram visíveis e a educadora do infantário garante que denunciou o caso à Comissão de Protecção de Crianças e Jovens no dia 4 de Dezembro. Ontem, estava agendada a primeira visita das técnicas, que iriam inteirar-se sobre a veracidade da denúncia, e um exame às crianças no centro de saúde local, que se realizou de manhã. Entretanto, os especialistas médico-legais vão agora proceder a exames complementares. A causa da morte da criança já está determinada - deveu-se a uma hemorragia, na sequência das lesões cranianas, torácicas e abdominais - tendo os médicos que determinar a que tipo de agressões foi sujeita.



REVOLTANTE !
SOFRIMENTO, MISÉRIA HUMANA , ABANDONO , PROFUNDA TRISTEZA ...




Serralves no Natal - Exposição " Anos 80 "


in http://www.serralves.pt/actividades/detalhes.php?id=96


Miroslaw Balka / Jean-Michel Basquiat / Bazilebustamante / Herbert Brandl / Frédéric Bruly Bouabré / Jean-Marc Bustamante / Pedro Cabrita Reis / Ernst Caramelle / James Coleman / Tony Cragg / José Pedro Croft / René Daniëls / Thierry De Cordier / Richard Deacon / Eugenio Dittborn / Helmut Dorner / Stan Douglas / Lili Dujourie / Marlene Dumas / Jimmie Durham / Fischli & Weiss / Günther Förg / Katharina Fritsch / Isa Genzken / Apostolos Georgiou / Robert Gober / Rodney Graham / George Hadjimichalis / David Hammons / Mona Hatoum / Georg Herold / Gary Hill / Candida Höfer / Jenny Holzer / Cristina Iglesias / Ana Jotta / Ilya Kabakov / Gülsün Karamustafa / Mike Kelley / Niek Kemps / Martin Kippenberger / Harald Klingelhöller / Barbara Kruger / Guillermo Kuitca / Louise Lawler / Zbigniew Libera / Allan Mccollum / Reinhard Mucha / Matt Mullican / Juan Muñoz / Cady Noland / Raymond Pettibon / Richard Prince / Charles Ray / Doris Salcedo / Rui Sanches / Julião Sarmento / Thomas Schütte / Cindy Sherman / Mariella Simoni / Ettore Spalletti / Thomas Struth / Rosemarie Trockel / Tunga / Luc Tuymans / Jan Vercruysse / Hannah Villiger / Jeff Wall / James Welling / Richard Wentworth / Franz West / Christopher Wool / Heimo Zobernig


Visitei ontem, em boa companhia, a exposição " Anos 80 " ! Tinha já destinado um dia das minhas férias a este evento. Assim, passei uma tarde a deambular, entre pessoas ( que eram mesmo muitas !) e obras de arte, pelos labirinticos espaços expositivos de Serralves. Foi bom, mas a movimentação de pessoas, telemóveis a tocar, conversas de esquina e crianças a correr, fez-me lembrar um pouco o frenesim natalício dos centros comerciais. Enfim, se puder, voltarei com mais tempo ... a exposição merece !

Sublinho, a vermelho, alguns dos artistas cujas obras me impressionaram e destaco Eugénio Dittborn (Chile) pelo engenho, significado e expressão de uma obra intensa e humanizada que nos interpela e emociona. Para sobreviver, como artista, ao terror do regime de Pinochet, Eugénio Dittborn inventou o airmail paintings (pinturas aero-postais ) , para assim de romper o cerco e fazer voar as suas obras para qualquer parte do mundo. Este espaço expositivo (de culto) é um daqueles que, na minha opinião, merece mais atenção e algum recolhimento. Por estes e por outros artistas, por estas e outras obras, que seguramente me escaparam, espero voltar ...

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Em tempo de contagem decrescente ...





GEDEÃO, António, pseud.

Tempo de poesia / [António Gedeão]. – 1956 Fev. 6. – [2] p. 1 f. ; 14 x 9,3 cm
Autógrafo a tinta azul, com emendas na mesma tinta. – Com 1.ª versão do título parcialmente riscada «Todo o tempo de poesia:». – 1.º v.: «Todo o tempo é de poesia.». – Suporte com vestígio de dobra. Inclui, na margem direita, a lápis, a nota de Natália Nunes: «[Publicado em Movimento Perpétuo, de 1956]» e, no canto direito, a lápis, o número «16». V. p. 35-36 da referida obra.BN Esp. E40/cx. 13

in http://purl.pt/12157/1/poesia/movimento-perpetuo/tempo-poesia1.html

Estudo sobre blogs de temática museológica



in http://nomundodosmuseus.wordpress.com/tag/blogs/

Radical Trust: The state of the museum blogosphere


Está a decorrer um estudo sobre blogs no âmbito dos museus. O intuito do estudo é analisar quais as tecnologias utilizadas, objectivos, políticas, tipo de utilização e por fim perceber qual o papel dos blogs nos museus e respectivo impacto.

O estudo está a ser preparado para a Museums and Web Conference 2007 e será nesse contexto apresentado com o título: Radical Trust: The state of the museum blogosphere.


Este estudo está aberto à participação de todos. Para o efeito, basta preencher um inquérito, acessível no site:
http://survey.museumblogs.org/next

quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

Museu do Tarrafal - Cabo Verde


(... ) A foto que publico diz respeito a essa viagem, foi tirada no Museu do Tarrafal, em Santiago ... ( palavras de Carlos Narciso, a propósito de um encontro, uma memória, um tributo. O Museu como escala, passagem e partida. Impressionou-me esta história, a referência a este lugar e o tudo o mais ...)

in http://blogda-se.blogspot.com/


Quando um Museu é um Memorial ...

terça-feira, 26 de dezembro de 2006

" O enigma de QAF "


in http://www.campo-letras.pt/index1.html

Este foi um dos livros que ofereci, neste Natal, a quem o mereceu ! É uma belíssima obra que li e recomendo





O Enigma de Qaf - Alberto Mussa


Livro galardoado com os prémios da Associação Paulista dos Críticos de Arte e da Casa de Las Américas

O enigma é o próprio árabe: a sua origem, suas tradições, seu nomadismo, seus haréns, seus algarismos, sua escrita e as múltiplas versões de uma história que por vezes soam improváveis, o que as torna ainda mais encantadoras. [...]

Leituras de Natal ...

" O último negreiro ", foi um dos livros que recebi neste Natal. Estou a ler e a gostar ...

O Último Negreiro - A apaixonante história de Francisco Félix de Sousa, o maior traficante de escravos português de todos os tempos, que viveu entre São Salvador da Bahia e o reino do Daomé (actual Benim) entre meados do século XVIII e meados do século XIX, construiu um império de barcos, homens e terra, foi negreiro mesmo depois de abolida a escravatura, teve mais de cem filhos e criou um clã imortalizado por Bruce Chatwin em O Vice-Rei de Ajudá.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Como o património somos nós ...

Fotografia realizada, por Maurício Abreu, em Djenné, Mali, em Dezembro de 2006
Assignment in Djenné, Mali, December 2006





Deixo-vos com esta belíssima e inquietante imagem de outros patrimónios, gentes como nós ...

Tributo ao meu amigo Maurício Abreu, autor desta fotografia e de muitas outras inesquecíveis imagens que merecem a (nossa) vossa visita em:


www.mauricioabreu.com

entretanto (re)encaminho votos de

um Feliz Natal e um Óptimo Ano de 2007,
cheio de viagens, trabalho (!?) e vontade de viver e partilhar.


I wish to all my partners and friends, a Merry Christmas and a Happy New Year of 2007,
full of travels, work (!?) and joy of living and share.

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Fernando Lopes-Graça ...

Fernando Lopes-Graça, Dulce Cabrita e Michel Giacometti

© J.A.

in http://cetobriga.blogspot.com/

" Michel Giacometti e Fernando Lopes-Graça, percursos convergentes "

È o tema proposto pelo Museu do Trabalho Michel Giacometti, para mais uma Tarde Intercultural a ter lugar, no referido espaço museológico, no último Sábado de Maio de 2007 . Para além de debates, conversas, saudosos encontros, músicas e poesia, será também apresentado o belíssimo filme "Encontros" de Pierre-Marie Goulet. Esta tarde realizar-se-á em parceria com a Associação " Lírio roxo " e com o Museu da Música Portuguesa e será repetida, posteriormente, neste museu, em Cascais.

Anote ! Pode copiar deste Caderno ...

segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Comunidades e desenvolvimento - Temas e Problemas da Museologia Social em "Interactions -online.com"

l'écomusée des So Ga, en Chine



EDITORIAL
[ Décembre 2006 ]

Joyeux Noël et Bonne Année 2007


Si je fais le bilan de 2006, dans mes domaines d'activité, je discerne deux tendances qui me paraissent importantes et qui méritent une réflexion collective:
- la notion de "capital social" comme facteur déterminant du développement démocratique des communautés humaines et des territoires semble maintenant reconnu et pris en compte dans de nombreuses dynamiques locales de développement. Ce n'est plus seulement un sujet de débats entre intellectuels, c'est un concept opérationnel, à la fois pour l'analyse des situations concrètes et pour la mobilisation des forces vives, sous une forme aussi bien individuelle que collective.
- le patrimoine naturel et culturel des territoires et des communautés commence enfin à apparaître (ou à ré-apparaître) comme un capital culturel local, à égalité avec le capital social et le capital économique. Dans un nombre croissant de lieux, les responsables politiques et techniques ont compris qu'avant d'être un atout de valorisation touristique, le patrimoine était la base sur laquelle une population pouvait construire son avenir. La propriété collective du patrimoine global d'un territoire, la responsabilité également collective de sa préservation, de son utilisation et de son enrichissement sont des principes qui vont devoir être prise en compte dans toutes les politiques et dans tous les programmes de développement.
J'invite tous les visiteurs du site à s'exprimer sur ces deux sujets, à partir de leurs pratiques professionnelles et personnelles.
Enfin, je note un phénomène nouveau: les blogs professionnels, qui permettent de suivre les expériences de telle ou tel collègue, au jour le jour, et de réagir pour commenter ou poser des questions, une nouvelle forme d'interaction ! J'aimerais pouvoir tenir à jour un lste de ces blogs. Envoyez-moi des adresses.

(an English translation is being prepared)


Hugues de Varines



http://www.interactions-online.com/index.php

Boas FESTAS Hugues de Varine ! *

Um abraço reconhecido da Museologia Social em Portugal e um lugar de honra no " Caderno de Campo "

domingo, 17 de dezembro de 2006

NATAL, COM TODOS, NO MUSEU ...




Foi assim este " Natal com todos " no Museu do Trabalho Michel Giacometti ...

Com eficiência, cada um assumiu a sua terefa e o NATAL no MUSEU foi tão especial para todos !

ABRAÇOS * ABRAÇOS * ABRAÇOS * ABRAÇOS * ABRAÇOS *

Outras línguagens nestas paragens ...

Memórias e Patrimónios ...

" O CAFÉ É UMA CASA DE HÁBITOS "


Esperava encontrar-te por aqui um dia destes ( . . . )

Eu, aqui, me confesso ... roubei a foto, o título e ainda ousei levantar a ponta do véu de um delicioso texto, da autoria do realizador lauro António, com o intuito de desafiar quem por passa a " vadiar " pelo inspirado blog " Vá Vá vadiando ", em :

http://vava-diando.blogspot.com/

sexta-feira, 15 de dezembro de 2006

pasión y muerte


El Che inédito. Una de las imágenes del libro Conocido Desconocido, que La Fábrica Editorial ha publicado con imágenes inéditas de la Revolución Cubana tomadas por el fotógrafo Alberto Korda, autor de la legendaria foto del Che Guevara. (20minutos.es)

____________________________________________________

"CÃO COMO NÓS"- Uma novela de Manuel Alegre - Um hino à amizade ...

Este meu amigo chama-se Kocker, gosta de nadar e correr na praia ... é ciumento, doce e muito esperto ! Vê programas sobre vida selvagem, ouve música, dorme ao SOL que nem um perdido e (re)conhece a palavra RUA em todas as línguas ! Lamenta não poder entrar em hotéis e MUSEUS ...



Cão bonito. E ei-lo aos pulos, a dar ao rabo, a correr a casa toda.

Digamos que aquele cão era quase um especialista nas relações com os humanos. Tinha o dom de agradar e de exasperar. Mas assim que eu dizia – Cão bonito – ele não resistia. Deixava-se dominar pela emoção, o que não era vulgar num cão que fazia o possível e o impossível para não o ser.

in "Cão Como Nós ", Manuel Alegre





Sugestão para uma prenda de Natal ... a alguém especial !

Trata-se de uma novela, editada em 2002.
Fala de um cão especial, um " cão como nós ", a quem o autor dedica um poema no final da obra.
Deliciosamente despretensioso, este livro "Cão como nós", lê-se de um fôlego, é um hino à amizade, à lealdade e ao amor que nos merecem aqueles seres peludos ... que nos fazem companhia e partilham os nossos estados de alma.

Cão como nós
Como nós eras altivo
Fiel mas como nós
Desobediente
Gostavas de estar connosco a sós
Mas não cativo
E sempre presente-ausente
Como nós.
Cão que não querias
Ser cão
E não lambias
A mão
E não respondias
À voz
Cão
Como nós.


_________________________________


Nota : a propósito, onde anda o poeta e cidadão (de corpo e alma ) Manuel Alegre que tanto nos inspirou nas últimas eleições presidenciais ? A mensagem de cidadania continua viva e actual ... falta cumpri-la !

quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

"NATAL COM TODOS" no Museu do Trabalho Michel Giacometti


Em parceria com a APPACDM

E tragam outro amigo também ...

http://www.rpmuseus-pt.org/Pt/cont/fichas/museu_94.html


*************************************************************************************

Universidade Lusófona de Cabo Verde


Um calor bom, marcante ...

O calor não se quer calar !

in http://funchal.blogspot.com/2004/08/memrias-de-cabo-verde-dia-8.html


A Câmara Municipal do Mindelo, no âmbito das relações de cooperação já existentes com a Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, e, considerando a necessidade de proporcionar às populações locais a melhoria das condições de vida, no contexto do crescente dinamismo das relações de cooperação, especialmente no que se refere ao domínio da Educação e Formação de Quadros, celebrou um Acordo com a COFAC - Cooperativa de Formação e Animação Cultural, CRL., onde afirma a sua disponibilidade para ceder as instalações do “Hotel 5 de Julho”, com uma área aproximada de 3.000 m2, para acolher a implantação da UNIVERSIDADE LUSÓFONA DE CABO VERDE.

A UNIVERSIDADE LUSÓFONA DE CABO VERDE será uma Instituição de Ensino Superior de Qualidade e Excelência e terá como objectivo primordial responder às necessidades nacionais, conforme estipulado nos objectivos de política da educação, consagrados no art.º 10.º, da Lei de Bases do Sistema Educativo, da República de Cabo Verde.

A localização da UNIVERSIDADE LUSÓFONA DE CABO VERDE será no Município do Mindelo, no antigo Hotel 5 de Julho, como já foi referido, e a abertura das suas actividades lectivas está prevista para o ano lectivo de 2006/2007.

Universidade Lusófona de Cabo Verde clique para aceder a Entrevista


A reitora desta Universidade é a Prof.ª Doutora Áurea Adão, doutorada em Educação. Professora da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Directora do Mestrado de Ciências da Educação e Investigadora da UID Observatório de Políticas de Educação e de Contextos Educativos da ULHT. Investigadora (aposentada) da Fundação Calouste Gulbenkian

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

" Cadernos de Campo " de Orlando Ribeiro


Passem por aqui http://www.orlando-ribeiro.info/cadernos/index.htm

Estes " Cadernos de Campo " são tão apetecíveis ...

O magnífico legado de Orlando Ribeiro deveria ser mais conhecido e divulgado através das escolas e instituições culturais portuguesas.

domingo, 10 de dezembro de 2006

Semana Santa


Fotografia por Sérgio Jacques em " Mala das fotografias "
____________________________________________
___________________________________________________

Bolo Rei e Moscatel





O Bolo Rei da Pastelaria " NOBREZA", no Porto, é o melhor do MUNDO !É um PATRIMÓNIO doce, efémero e irresistível que se renova em cada NATAL !!! Então ... acompanhado com um bom Moscatel de Setúbal, é a simbiose perfeita !














Conversando ...


http://asp3.blogspot.com/2006/10/giacometti-em-trabalho-de-campo.html


Um blog a visitar ! " Conversando ... " é que a gente se entende.

sábado, 9 de dezembro de 2006

Pássaro azul ...

Viver o BELO...
http://www.olhares.com/passaro_azul_que_ha_em_nos/foto871037.html

Reabertura do Museu do Abade de Baçal


http://www.rpmuseus-pt.org/Pt/cont/fichas/museu_09.html


Inauguração das exposições:

Rituais de Inverno com Máscaras
João Vieira. Caretos II

INSTITUTO PORTUGUÊS DE MUSEUS
in Nota de Imprensa, 7 de Dezembro de 2006


O Museu do Abade de Baçal, em Bragança, reabre ao público no próximo dia 15 de Dezembro, com as exposições Rituais de Inverno com Máscaras e João Vieira - Caretos II, assinalando a conclusão da 3.ª fase do processo de requalificação e ampliação do edifício em que se encontra instalado o Museu, no antigo Paço Episcopal.
Inaugura-se assim um novo ciclo de vida para o Museu, agora dotado de duas salas de exposições temporárias, para além de um mais qualificado espaço de acolhimento ao público e de Reservas, tendo sido também reestruturada a sua exposição permanente.
O Museu passa a dispor de condições para uma oferta cultural mais diversificada aos públicos da cidade de Bragança e de toda a região trasmontana, não apenas no sentido da fruição mais estruturada do património da região, mas também no acesso a conteúdos que poderão agora circular por aqueles novos espaços expositivos.

"Rituais de Inverno com Máscaras" homenageia um dos ícones mais poderosos da cultura transmontana, as Festas dos Rapazes, que celebram momentos fulcrais do calendário da vivência aldeã e que têm, no uso de máscaras, marca de particularidade ancestral; João Vieira. Caretos II, relaciona-se com a mesma temática, tratada não pela antropologia, mas pelo fazer libertário de um artista contemporâneo.

Estudos de Antropologia http://www.fcsh.unl.pt/invest/CEEP.HTM


A propósito da Festa dos rapazes ... ouça a antropóloga Paula Godinho em ESPECIAL TSF

REGISTO AUDIO
A Lenha das Almas

«A Lenha das Almas» é uma reportagem de Manuel Vilas-Boas e Luís Borges, com a colaboração da Progestur.

Emitida a 19 de Novembro, 2006


sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

MUSEU LASAR SEGALL

Mário de Andrade, por Lasar Segall

Visitei, há cerca de quatro anos, o muito sugestivo, envolvente e poético Museu Lasar Segall, idealizado por Jenny Klabin Segall, viúva do artista, também ela escritora e destacada intlectual. O museu abriu em 1963, ocupando o espaço da elegante residência da família Segall, na cidade de São Paulo. Este museu expõe, em permanência, o valioso espólio artístico criado e reunido por Segall, para além de magníficas peças de mobiliário, tapeçarias e documentos. Oferece um programa de visitas guiadas e multiplos serviços, constituindo hoje um espaço cultural de referência.


EM 1973, abriu também a biblioteca Jenny Klabin Segall.

"O acervo original da Biblioteca, formado a partir da coleção de teatro da família Segall, foi posteriormente expandido com a aquisição das coleções dos professores e críticos teatrais Lopes Gonçalves, Georges Raeders e Anatol Rosenfeld, e a coleção da Cinemateca Brasileira, dentre as muitas doações de pesquisadores, profissionais e frequentadores."

http://www.museusegall.org.br/index.asp?sMenu=L000

Livro recomendado pelo " Caderno de Campo "

Mário de Souza Chagas é poeta e museólogo. Mestre em Memória Social (UNIRIO) e doutor em Ciências Sociais (UERJ). Atualmente é coordenador técnico do Departamento de Museus e Centros Culturais do IPHAN, professor adjunto da Escola de Museologia e do Programa de Pós-graduação em Museologia e Patrimônio da Unirio e professor visitante da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa



"Há uma gota de sangue em cada museu"


A obra trata de questões referentes ao pensamento museológico de Mário de Andrade. O autor indaga-se: até que ponto as propostas museológicas de Mário de Andrade representam consolidação ou rompimento com o pensamento modernista? Sendo o museu o lugar privilegiado de construção de memória, não seria também um baluarte da tradição? Como são tratadas as idéias de coleção e museu pelo poeta modernista? Essas questões, aliadas ao entendimento de que a gota de sangue é gota de humanidade e sinal de historicidade presente nos museus, constrói a base desse estudo.

A aquisição pode ser feita por meio da página www.unochapeco.edu.br/argos, na seção "Como Adquirir"

Por Adolfo Nobre http://www.museologia.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=211&Itemid=9
27 Novembro de 2006

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

O DEVER DE MEMÓRIA ...

CONGRESO "A RAIA 1936-1952: REPRESION,RESISTENCIA E MEMORIA"

"Envio cartaz congreso da raia para a súa difusión

Un saúdo David Corton "


Luís Martínez-Risco Daviña Tel. +34 626 00 20 19

Recebi hoje, via e-mail, este pedido de difusão do cartaz que anuncia um evento de interesse primordial para quem acredita que a transmissão das memórias sociais é um dever de cidadania, um sinal de maturidade política e de democracia.

Há que criar uma cultura da memória em Portugal ! É caso para perguntar : o que temos nós feito dessas memórias difíceis de resistência e repressão ? Como as assinalamos ? Como as transmitimos ? Como estamos a tratar os seus testemunhos orais ? Como preservamos as suas evidências materiais e imateriais ? O que fizemos dos lugares e símbolos dessas memórias ?

Os silêncios (ou esquecimentos estratégicos ), aprisionam temporariamente as memórias, mas ...


Ao Luís Risco e a outros amigos galegos as nossas saudações !

Á FCSH / Univ Nova de Lisboa e ao Centro de estudos de Etnologia portuguesa, felicitações por esta parceria a favor das memórias comuns e do seu ( re)conhecimento !

NÃO FALTEM !




terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Um MUSEU de se lhe tirar o CHAPÉU !


http://www.olhares.com/museu_da_chapelaria___sao_joao_da_madeira/foto283918.html

O Museu da Chapelaria de S. João da Madeira criou um blog para partilhar experiências e divulgar actividades. Deixo aqui a sugestão de uma visita a este belíssimo museu, que através de uma linguagem expositiva contemporânea e um serviço Educativo bem estruturado, faz jus ás memórias de operários e artífices chapeleiros e dá novos usos (sociais, culturais e artísticos ) a um património industrial português de referência. Porém, se não puderem ir a S. João da Madeira, nos tempos mais próximos, vão sabendo o que por lá se passa através de ... http://museudachapelaria.blogspot.com/

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

Um FAROL no " Caderno de campo "


Cabo da Roca


http://www.olhares.com/farol_do_cabo_da_roca/foto885178.html

Latitude 38º 46,99' Norte
Longitude 09º 29,75' Oeste.


O farol situa-se a uma altitude de 165 m, tem uma altura de 22 m. A sua LUZ tem um alcance de, aproximadamente, 48 Km. O Farol do Cabo da Roca é o farol mais a ocidental do continente europeu.


O farol do Cabo da Roca foi mandado edificar pelo alvará de 1 de Fevereiro de 1758, entrou em funcionamento em 1772 e sofreu grandes alterações no ano de 1843.

Os farois são tão inspiradores ... e este é belíssimo !

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Vinicius. Sempre. Sempre (dá-me sempre um arrepio ...)






Vinicius morreu na manhã de 9 de Julho de 1980 com 66 anos, de edema pulmonar, na banheira de sua casa na Gávea. No enterro, consolada por Elis Regina, Gilda recordava a noite anterior, quando, numa entrevista, perguntaram a Vinicius: "Você está com medo da morte?". E o poeta, placidamente, respondeu: "Não, meu filho. Eu não estou com medo da morte. Estou é com saudades da vida".


in Tom Jobim+Vinicius de Moraes+Toquinho+Miúcha live concert

MUSÉE DE LA PERSONNE - Centre d`Histoire de Montréal



http://ville.montreal.qc.ca/portal/page?_pageid=2497,3088440&_dad=portal&_schema=PORTAL

O Centro de História de Montréal tem um trabalho de referência ao nível da museologia social, cidadanias, inclusão e migrações. As parcerias com museus portugueses nesta area poderão revelar-se de primordial importância para as aprendizagens e os caminhos que todos estamos tacteando a este propósito. As clínicas da memória são disso um bom exemplo ...

http://www.museudapessoa.net/MuseuVirtual/home/resources/homesPublicadas/MVHM_4.html

Deixo aqui o contacto com o director Jean-François Leclerc que trabalha intensamente com as comunidades portuguesas em Montréal, desenvolvendo multiplas estratégias de investigação/acção expressas em linguagens expositivas inovadoras e projectos de educação para a cidadania.

jfleclerc@ville.montreal.qc.ca

http://www2.ville.montreal.qc.ca/archives/democratie/democratie_fr/apprentis/outils/realisation.shtm

quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Oh as casas as casas as casas


Oh as casas as casas as casas
as casas nascem vivem e morrem
Enquanto vivas distinguem-se umas das outras
distinguem-se designadamente pelo cheiro
variam até de sala pra sala
As casas que eu fazia em pequeno
onde estarei eu hoje em pequeno?
Onde estarei aliás eu dos versos daqui a pouco?
Terei eu casa onde reter tudo isto
ou serei sempre somente esta instabilidade?
As casas essas parecem estáveis
mas são tão frágeis as pobres casas
Oh as casas as casas as casas
mudas testemunhas da vida
elas morrem não só ao ser demolidas
ela morrem com a morte das pessoas
As casas de fora olham-nos pelas janelas
Não sabem nada de casas os construtores
os senhorios os procuradores
Os ricos vivem nos seus palácios
mas a casa dos pobres é todo o mundo
os pobres sim têm o conhecimento das casas
os pobres esses conhecem tudo
Eu amei as casas os recantos das casas
Visitei casas apalpei casas
Só as casas explicam que exista
uma palavra como intimidade
Sem casas não haveria ruas
as ruas onde passamos pelos outros
mas passamos principalmente por nós
Na casa nasci e hei-de morrer
na casa sofri convivi amei
na casa atravessei as estações
respirei - ó vida simples problema de respiração
Oh as casas as casas as casas

Ruy Belo


http://www.iplb.pt/pls/diplb/!get_page?pageid=402&tpcontent=FA&idaut=1426009&idobra=&format=NP405&lang=PT

segunda-feira, 27 de novembro de 2006

Pierre Mayrand no Museu do Trabalho



No Sábado, dia 25 de Novembro, o Museu do Trabalho recebeu a visita de Pierre Mayrand, investigador em Património e Museologia, professor da Universidade do Québec em Montreal de 1969 a 1996. Membro fundador do MINOM /ICOM (UNESCO) - Movimento Internacional para uma nova Museologia. Teórico da Economuseologia, fundador do Ecomuseu de Haute-Beauce no Québec. Figura relevante do pensamento contemporâneo na area da Museologia, Patrimónios e Cidadanias.

Pierre Mayrand, participou como observador, na Tarde Intercultural dedicada à construção de identidades e representações sociais dos vários grupos na comunidade local, sob o tema /desafio " Ser setubalense ".

Nos " Cadernos de Sociomuseologia ", editados pelo Centro de Estudos de Sociomuseologia da Universidade Lusófona, encontram-se várias referências do pensamento de Pierre Mayrand, nomeadamente o nº 22, totalmente dedicado ao Ecomuseu de Haute-Beauce, Canadá.

http://cadernosociomuseologia.ulusofona.pt/Arquivo/caderno_23/arquivo.htm

Notícia


«Tarde Intercultural» no Museu do trabalho, abordando o tema "Ser Setubalense". Iniciou-se com a apresentação do documento audiovisual "Ser Setubalense - retalhos de vida com Setúbal inscrita", com depoimentos de numerosas pessoas com diferentes histórias de relacionamento com a cidade - muitas das quais estiveram igualmente presentes e participaram activamente no debate que se seguiu. Este debate foi inteligentemente orientado pelo Professor Viriato Soromenho Marques, que reflectiu sobre a condição de ser setubalense, motivando depois a assistência para uma activa participação sobre o que é a cidade necessita que seja feito. Prevaleceu, apesar de tudo, a ideia de que está ainda por fazer um diagnóstico da condição de ser setubalense. A directora do Museu, Isabel Victor, manifestou disponibilidade daquela instituição para esse disgnóstico, tendo feito referência à "clínicas da memória", uma interessante experiência do Canadá. A tarde terminou com uma sessão musical a cargo do acordeonista Dimas, que teve o condão de colocar muita gente a dançar, e com a leitura de poemas de Ruy Belo pelo actor Duarte Victor, no espaço da Mercearia Liberdade. Tratou-se de uma iniciativa muitíssimo interessante e igualmente motivadora, pelo que terei oportunidade, mais tarde, de escrever aqui algumas reflexões sobre este tema.
© J.A

Créditos : http://cetobriga.blogspot.com/

Lembra-te



Lembra-te
que todos os momentos
que nos coroaram
todas as estradas
radiosas que abrimos
irão achando sem fim
seu ansioso lugar
seu botão de florir
o horizonte
e que dessa procura
extenuante e precisa
não teremos sinal
senão o de saber
que irá por onde fomos
um para o outro
vividos

Mário Cesariny



http://blogamargem.blogspot.com/

Não vou esquecer Mário, até sempre...

posted by DUARTE VICTOR at 26.11.06

sexta-feira, 24 de novembro de 2006

magiae naturalis ...


Fotografia de Humberto de Sousa ( Santa Maria / Açores )
in " Açores - magiae naturalis ", edição Instituto açoriano de cultura, Angra do Heroísmo, 2006


" ( ... ) Este extraordinário livro de Humberto de Sousa fala-nos, sobretudo, do primeiro segredo do arquipélago, desse prodigioso casamento da Terra e do Mar. Mas sem o segundo segredo, sem a singularidade da alma açoriana, a magia natural dos Açores há muito se teria corrompido.

Agora que o mundo, numa crise profunda e global, precisa de ser recriado, se a humanidade quiser sobreviver, todos teremos que aprender com o segredo dos Açores, com a utopia realizada de uma habitaçao serena e duradoura neste território de lava e espuma."

Viriato Soromenho Marques ( Excerto do texto de apresentação )

quinta-feira, 23 de novembro de 2006


Mercado do Livramento ...


"Mercado do Livramento - fotografia de Bev Trainer, uma "irlandesa-setubalense", do clã dos O'Neill, que descobriu recentemente o retrato do chefe tradicional desse clã, Owen Roe O'Neill, numa pequena mansão da Estrada das Machadas de Cima, propriedade do actual chefe, Hugo O'Neill. Este clã dispersou-se pelo mundo na sequência das violentas perseguições aos católicos no tempo de Cromwell, tendo Portugal acolhido um dos seus ramos. Por coincidência, Bev Trayner acabou por vir viver a pouca distância do simbólico retrato. Será Bev uma Setubalense?"

Posted by J.A. to Setúbal at 11/22/2006 03:24:00 PM

http://cetobriga.blogspot.com/

Nota : realmente, ninguém existe fora da História ... e há "estórias " muito curiosas que marcam as pessoas e os lugares! A propósito da mansão O`Neill, aqui referida pelo JAldeia, veio-me à memória o escritor Dinamaquês Hans Christian Andersen que, na sua breve passagem por Setúbal, foi recebido por esta família O`Neill e que, ao que se sabe, também esteve nesta mansão, na Estrada das Machadas. Imagine-se, Setúbal inscrita da vida ( e obra ) de Hans Christian Andersen ... mote de contos e narrativas deste génio da palavra ! Será que a Setúbal, fresca e verdejante que ele descreveu, viajou no seu imaginário até à Dinamarca e hoje ainda por lá paira ?

será que a ‘exposição’ (de Ciência ou de Arte) é uma ‘imposição’ ou uma mera ‘posição’?




O Projecto que coordeno - apoiado pela Fundação de Ciência e Tecnologia, é um processo colectivo. Todos são co-autores, de uma maneira ou de outra. Tendo como título: 'Literacia científico-tecnológica e opinião pública: o caso dos consumidores dos museus de ciência' , o projecto procura relacionar a produção da Ciência ao seu consumo, através da mediação operada pelos museus de Ciência e das TIC na formação do conhecimento e opinião dos seus visitantes. Para além disso, conecta os museus tradicionais aos museus de Ciência virtuais. A Feira dos Minerais, que se realiza anualmente por iniciativa do Departamento de Geologia e Mineralogia do Museu Nacional de História Natural, foi utilizada pela nossa equipa como um pré-inquérito, para definir novas questões e testar outras. Assim sendo, trata-se de um estudo principalmente sobre os Museus de Ciência. Contudo, hoje em dia, a clivagem entre museus de Ciência e Museus de Arte, ou mesmo entre exposições e museus, encontra-se profundamente subvertida. As questões que se colocam na contemporaneidade são deste tipo: será que a ‘exposição’ (de Ciência ou de Arte) é uma ‘imposição’ ou uma mera ‘posição’? Dito de outro modo, a expo investe num gosto e num estilo de vida (imposição), ou na sensibilidade de uma tribo urbana (posição)?


in " PEDRO ANDRADE, A VANGUARDA FALA POR SI ", extracto de entrevista http://www.triplov.com/pedro/entrevista.html

Pedro de Andrade, sociólogo, CICTSUL - Centro Interdisciplinar de Ciência, Tecnologia e Sociedade da Universidade de Lisboa. Aí lidera dois projectos importantes: "Literacia científico-tecnológica e opinião pública: o caso dos consumidores dos museus de ciência" e a revista "Atalaia-Intermundos".

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

No Sábado ...


http://www.rpmuseus-pt.org/Pt/html/index2.html

Museu do Trabalho Michel Giacometti
Largo dos defensores da República
Setúbal ( Junto ao miradouro das Fontínhas, a ver o rio ... )

Tef 265 537 880

Tarde Intercultural no Museu do Trabalho, próximo Sábado, dia 25 de Novembro


" Ser setubalense " é o tema da próxima Tarde Intercultural no Museu do Trabalho. Inicia-se, como habitualmente, ás 15-00 h. Apareçam por lá ...

museutrabalho@iol.pt


Setúbal é um velho porto de abrigo para múltiplas derivas e migrações. É uma cidade multicultural mas, nem por isso, intercultural. A categoria " Ser setubalense " ainda não é suficientemente abrangente. Ainda não comporta a ideia de que são setubalenses todos aqueles que, por uma razão ou outra, têm Setúbal ( ou a sua metáfora ) inscrita nas suas vidas, independentemente do seu ponto de partida e do seu rumo.

Mas, mesmo assim a interculturalidade, essa utopia, vai-se cumprindo timidamente nos gestos mais escondidos, mais sensoriais, mais à flor da pele ... que só se revelam através do estreitamento das relações interpessoais, da minúcia dos olhares e da mútua confiança gerada na sociabilidade.

O trabalho de campo que o Museu tem vindo a realizar com os diferentes grupos na comunidade, revelou-nos que as comidas, são um interessante laboratório de sínteses e adaptações culturais. A necessidade aguça o engenho, impõe a mistura de sabores e jeitos que se fundem em gostosos panelões interculturais.

Talvez por isso, a praça de setúbal, o belíssimo " Mercado do Livramento " seja citado por setubalenses de todas as origens ( alentejanos, algarvios, Murtoseiros, africanos, chineses, russos, romenos, goeses, timorenses, brasileiros, etc ), como um local primordial de encontro, um património delicioso ... Um espaço agregador ! Uma plataforma intercultural em setúbal ?

Desafiamos aqui ... fotógrafos, escritores, músicos, poetas e demais olhares artísticos, a olharem sem limites este local tão inspirador, em busca das diversas culturas, dos diversos modos de " Ser setubalense " que brilham entre peixes, frutas e couves no Mercado do Livramento ...

terça-feira, 21 de novembro de 2006

Hoje convoco o pensamento Paulo Freire ...


"Ninguém educa ninguém. Ninguém educa a si mesmo. As pessoas se educam entre si, mediatizadas pelo mundo."

Paulo Freire

http://www.paulofreire.ufpb.br/paulofreire/principal.jsp

Nota :
Convictos de que o pensamento de Paulo Freire é um imponente FAROL para a Museologia Social na contemporaneidade, deixamos aqui um repto aos museus, museólogos e afins para a (re)leitura da obra deste incontornável pensador e humanista do sec XX, com vista à realização de um encontro dedicado a esta reflexão (primordial ) e aos campos de aplicação das teorias de Paulo freire à Museologia. O que acham ? Deixem aqui as vossas opinões e sugestões ...

segunda-feira, 20 de novembro de 2006

Deixo esta nota no " caderno de campo "

http://museumanthropology.blogspot.com/

Nota : desculpem ser em inglês, fiz apenas um "copiar" / "colar" do original, sem tempo para mais ... fica a intenção de divulgar algo que pareceu pertinente !


" Two Blogs are Better than One: Material World and Museum Anthropology

It is exciting and curious that two weblogs devoted to the fields of museum anthropology and material culture studies have both officially launched in the same brief time span. While the Museum Anthropology blog was begun quietly during the summer of 2006, we authored a story for the November issue of the AAA's Anthropology News that had the purpose of launching the blog officially. This appeared in digital form on AnthroSource in the last days of October. Unbeknownst to us, at the same time, a circle of colleagues at New York University and University College London began publication of Material World, a blog that will be "an interactive, online hub for contemporary debates, discussion, thinking and research centered on material and visual culture." One of the Chief Editors for Material World is Haidy Geismar, a great colleague who, during the past year of my editorship of Museum Anthropology, has proven to be an extremely active and energetic contributor to the journal. A review of the Darwin exhibition by Haidy and her NYU students will appear in the journal's next issue. One of the blog's Editors-at-Large is Aaron Glass, another stalwart supporter of Museum Anthropology. Aaron published one fine paper in my first issue as editor (29.1) and he has another one accepted for publication in volume 30.I hope that there will be fruitful traffic between the two blogs and that they will both thrive, each in its own way. The Museum Anthropology blog is an extension of the journal and will be, in some ways, constrained by this fact and by the limits that editing the journal will place on my time. Material World has a more distributed editorial approach and it is not bound to the lifecycle of an established journal. It will be fun and productive to see where both efforts lead. I intend to read and contribute to Material World and I hope that Museum Anthropology readers and Council for Museum Anthropology members will do so as well.Good luck to the Material World editorial team. Please visit the blog at : "


http://www.materialworldblog.com/

domingo, 19 de novembro de 2006

Porque hoje é Domingo ... faça "enter" e visite museus sem fronteiras !

http://www.discoverislamicart.org/

Mission Statement
Welcome to Museum With No FrontiersClick here to enter


Today’s highlight from the Permanent CollectionTintenfaß, (Schreibzeug)2. Hälfte 7./ 2. Hälfte 13. Jh, Ayyubiden
Bronze, graviert. SilbertauschierungenMuseum für Islamische KunstBerlin, DeutschlandView description


This project is fundedby the European Union

sábado, 18 de novembro de 2006

Sugestão


clikem aqui

http://www.youtube.com/results?search_query=a+morte+foi+de+f%C3%A9rias


A Morte foi de férias (Death's Holidays)10:12
A short movie that I directed as a school project.
Tags:
morte férias death holidays cuba Cuba Fidel Castro fidel castro short movie film comedy comédia curta metragemAdded: 1 week ago in Category: ComedyFrom: cinemuseViews: 150

BOA IDEIA ! Atenção (museo) bloggers ...



"Lauro António Apresenta... " UM BLOG A NÃO PERDER ! Passem por lá ...

Comentários, críticas a obras actuais, anotações, referências, lembretes, notícias, e tudo o mais que valer a pena referir... Ao sabor do tempo e do local.
Sexta-feira, Novembro 17, 2006

http://lauroantonioapresenta.blogspot.com/

BLOGUES DE CINEMA

1º ENCONTRO NACIONAL
DE BLOGUES DE CINEMA


Durante o recente Cine Eco, que terminou no fim de Outubro, na cidade de Seia, lancei a ideia de um Encontro Nacional de Blogues de Cinema (e mais genericamente de Cultura, que tenham uma forte componente Cinematográfica). Estavam presentes vários autores de blogues, e a iniciativa pareceu despertar muito interessante, tendo em conta vários aspectos:- A crescente importância dos blogues na comunicação social contemporânea;- A decisiva influência que os blogues podem ter na criação de uma verdadeira cultura cinematográfica – os blogues são locais privilegiados de criação crítica, de debate de ideias, com a característica de o serem de forma imediata e sem qualquer tipo de "edição" prévia a cargo de outrém, de censura, de manipulação;- Os blogues podem, e devem, ter uma função informativa e divulgadora, com uma capacidade de interferência no real absolutamente única – uma notícia pode atingir milhares de leitores em minutos;Posto isto, e tudo o mais que se poderá debater num Encontro Nacional, aberto a todos quantos queiram aparecer, começámos a idealizar um tempo e um espaço, e tudo se conjuga para que o I Encontro Nacional de Blogues de Cinema tenha lugar em Famalicão, durante o próximo "Famafest" (Cinema e Literatura), entre 9 e 17 de Março (o Encontro ocupará sexta, sábado e domingo, 9, 10 e 11).

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

O património como objecto de sedução ... pode ser bom ! Mas, para quando as pessoas sentirem-se desejadas nos museus ?



Tarde Intercultural " O cante alentejano ", arquivo Museu do Trabalho Michel Giacometti, foto Miguel Casanova, setúbal, 2005

O património como objecto de sedução é, hoje, uma ideia qe colhe simpatia e atrai públicos ávidos de emoção. Os museus espectáculo são exímios nesta arte de seduzir, assim não lhes faltem os meios ! E ... as pessoas "comuns" sentirem-se desejadas ? Sim, porque os ricos, bonitos e poderosos são sempre desejados enquanto a fortuna dura !

"O Património somos nós " mote que inspirou as Jornadas Europeias do Património, em 2006, foi um bom slogan ... falta cumpri-lo !

Os museus do terceiro milénio, podem ajudar a revelar essas identidades das pessoas ditas comuns, desvendar o seu capital de saberes, as suas artes, transformando-as num recurso das comunidades e num potencial de desenvolvimento ( as pessoas-recurso de que fala Hugues de Varine ). Afinal escutarmo-nos, apreciarmo-nos, uns aos outros, com coragem, sem paternalismos, não será assim tão difícil e até podemos seduzir alguém ... começando por nós próprios, em frente ao espelho !




quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Musealogando



S. Brás de Alportel, Outubro, 2006

http://www.musealogando.blogspot.como

" Musealogando " é um, museoblog dedicado à Museologia Social. Foi lançado na sequência das XVII Jornadas, Outubro, São Brás de Alportel, realizadas sob a égide do MINOM. Está em marcha. Passem por lá ...

http://www.minom-icom.net/

Seguidores

Povo que canta não pode morrer...

Beirute.Nantes

Loading...

Arquivo do blogue

Pesquisar neste blogue

Acerca de mim

A minha foto

"A coisa mais fina do mundo é o sentimento. " (Ensinamento) Adélia Prado