quinta-feira, 20 de março de 2008

A poesia no seu dia..

_____________________________________________________________



ccb/Sala de Leitura/


"Que outros se gabem dos livros que lhes foi dado escrever, eu gabo-me daqueles que me foi dado ler."
Jorge Luis Borges (1899-1986)

_________________________________

O Dia Mundial da Poesia comemora-se a 21 de Março, sexta-feira, por iniciativa da UNESCO, que o proclamou em 1999 com o objectivo de defender a diversidade linguística.

No sábado, o CCB, tutelado pelo Ministério da Cultura, associa-se ao Plano Nacional de Leitura - para assinalar a data numa maratona de iniciativas entre as 12:00 e as 20:30, que culminará com um espectáculo no Grande Auditório.

Da programação constam, entre outras, uma feira do livro de poesia na recepção do centro de reuniões e uma exposição de poesia visual de Ana Hatherly, com cerca de 150 desenhos, oficinas de desenho, pintura e colagem inspiradas na obra da poeta e artista plástica portuguesa, que estará patente até 20 de Abril.

Também foram convidados actores e poetas, entre outras personalidades, para declamar, nomeadamente as actrizes e actores Suzana Menezes (dirá Natália Correia), Pedro Lamares (Al Berto), Beatriz Batarda (Sophia de Melo Breyner Andresen), e Diogo Dória (Herberto Helder).
Estarão presentes igualmente os poetas Ana Hatherly, Ana Luísa Amaral, Fernando Luís Sampaio, Gastão Cruz, Nuno Júdice, Manuel Alegre, Manuel António Pina, Pedro Tamen, Vasco Graça Moura e walter hugo mãe.

Na Sala de Leitura, estão previstas conferências de Fernando Pinto do Amaral sobre Cesário Verde e Osvaldo Silvestre sobre a poesia de Luís Quintais.

Outra iniciativa original é o "Espaço de Troca", onde o público poderá dirigir-se com livros e trocá-los por outros, não sendo permitido o uso de dinheiro.

No espaço "Diga Lá um Poema" - onde estarão como convidados José Jorge Letria e José Fanha - haverá poesia dita por personalidades públicas, mas qualquer pessoa pode participar.

Estará instalado um estúdio de gravação com um estrado e um microfone e o público é convidado a dizer poesia frente a uma câmara, sendo as gravações passadas em simultâneo no foyer dos Auditórios e em diferido junto à Sala de Leitura, em televisores montados para o efeito.





© 2008 LUSA

Seguidores

Povo que canta não pode morrer...

Beirute.Nantes

Loading...

Arquivo do blogue

Pesquisar neste blogue

Acerca de mim

A minha foto

"A coisa mais fina do mundo é o sentimento. " (Ensinamento) Adélia Prado