segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010






Horas antes esta esplanada era um sítio amável onde se tomava chá com scones e doce de maracujá.





Funchal, Sábado, 20 de Fevereiro _ 2010










Para o que aconteceu depois não tenho palavras
Foi tão brutal, tão insólito, tão duro
A ilha parecia de papel
(...)





_____________________________________________________________________

A propósito de filmes e ambiente ... vale a pena espreitar este blog

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010








Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente
protocolo e manifestações de apreço ao Sr. diretor.
Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário
o cunho vernáculo de um vocábulo.
Abaixo os puristas
Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de excepção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis
Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja
fora de si mesmo
De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante
exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes
maneiras de agradar às mulheres, etc
Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

— Não quero mais saber do lirismo que não é libertação.



__________
"Poética", Manuel Bandeira















_________________________________________________________________________________



Parto para as ilhas _______________ ausento-me por uns dias. Dever a quanto obrigas ...
Deixo-vos imagens um dia de sol, frio e vento, a bordo de "La Rosa d`Elche", o sabor a mar e amigos  e a "Poética" de M. Bandeira a sacudir o adormecimento.





_______________________________________________________________________________










_________________________________________________________________________________
A Arquivista é uma nova revista cultura, da responsabilidade da FADE IN - Associação de Acção Cultural. Ao longo de mais de 100 páginas recebe contributos inéditos de valter hugo mãe, Paulo Kellerman, Tiago Baptista, Sílvia Patrício, Pedro Polónio, António Cova, Bruno Silva, Telmo Rodrigues, Clara Leão, Paulo Lameiro, Rui Ramusga, entre muitos outros. É o encontro das artes, testemunhos e ideias num objecto único. Letras, imagens e sons com periodicidade quadrimestral, a explorar a partir do passado dia 13 de Fevereiro.










Publicado por alice http://alicemacedocampos.blogspot.com/



_______________________________________________________________________

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

De repente, não mais que de repente . Fez-se de triste o que se fez amante (...) Vinicius




Desfile de Carnaval




[1941]
Desenho a guache e nanquim pincel/papel
25 x 28.8cm (aproximadas)

Washington, D.C.
Assinatura estampada no canto inferior direito "PORTINARI*". Sem data






_____________________________________________________________________________


Coleção particular, Fortaleza,CE





_____________________________________________________________________________________

sábado, 13 de fevereiro de 2010


Doris Lessing (Nobel da literatura), retrato por Sara Facio


______________________________________________________


Aprendizado é isso: de repente, você compreende alguma coisa que sempre entendeu, mas de uma nova maneira.



Doris Lessing
 
 
 
 
 
 
 
 










__________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010



Roberto-Matta, Fingering Caprice (Homenaje a Paganini), 1982

Oil on canvas
88 x 100 cm
Private collection






Pintura para ouvir ________________________________________________________

Silencio-me ...

















________________________________________________________________________

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010




"Eu sou a Hermínia: sou Hermínia, pronto, não tenho outra maneira de dizer"
Era assim, com esta simplicidade, que se autodefinia a maior cantadeira de Cabo Verde. Uma figura frágil, gestos tímidos ______________ uma deusa em palco! Natural do Mindelo, faleceu no Domingo. Os seus discos eram dificeis de encontrar. Fui comprando os que pude. São todos preciosos. Hermínia d`Antónia Sal, seu nome





domingo, 7 de fevereiro de 2010











___________________________________________________________________________


Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue; outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho... o de mais nada fazer.




Clarice Lispector


_____________________________________________________________________



From: Museu Municipal S. Filipe - Fogo. Cabo Verde

Sent: Sunday, February 07, 2010 11:34 AM
Subject: [Fogo.Cabo Verde] Tarrafal Candidato a Património Mundial


O governo de Cabo Verde deverá ter pronta toda a documentação técnica da candidatura do Campo de Concentração do Tarrafal (norte da ilha de Santiago) a Património Mundial da Humanidade em 2011 ou 2012.

Segundo Carlos Carvalho, presidente do Instituto de Investigação e Património Cultural (IIPC) cabo-verdiano, a documentação do sítio histórico, já Património Nacional de Cabo Verde, será entregue logo que possível à Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

É necessário, contudo, desenvolver mais trabalho para a apresentação de uma candidatura com substância, sendo precisas obras de reabilitação no também conhecido por "campo da morte lenta", definitivamente encerrado a 01 de Maio de 1974.

Fonte: Lusa, Diário Digital_07/01/10






____________________________________________________________________________

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Porque hoje é Sábado e (6) um número redondo







 _____________________________ estendo o olhar à Planície da Luz.

Referendo o Sul e o Sol reflectido nas águas paradas . espelho líquido ... de um lugar perene diluído no progresso.



_______________________________________________________________________________







UTE LEMPER ~ Little Water Song

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010










As mãos escrevem nas pálpebras
a palavra astro
neste fim de tarde solitário.
A morte é a mais lúbrica das criaturase
e vem e vai
e pendura nas paredes
mil e uma fórmulas secretas
em que são iguais as quantidades de realidade
e do que a ela se opõe.
O vento está visivelmente cansado
arranhou-se num espinheiro
e corre-lhe pelo peito quente
um fio de sangue.
Qualquer coisa como música
advém do seu silêncio
e o olhar é uma ponte nitidíssima
entre duas realidades que não há.

Cruzeiro Seixas
in "A única tradição viva"
Perfecto E Cuadrado
edição Assírio & Alvim




_______________________________________________________________________


Tributo do Caderno de Campo a Rosa Lobato Faria ________________________ * )


________________________________________________________________

BIG ____________________________________________________





Fotografia: http://www.maggietaylor.com/







Bibliotecas pela Igualdade de Género



A UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta e a Divisão de Gestão de Bibliotecas da Câmara Municipal de Lisboa estabeleceram uma parceria no âmbito do Projecto BIG - Bibliotecas pela Igualdade de Género para tornar os espaços das Bibliotecas Municipais, locais atentos às questões de género!
Pela diversidade do seu público, pela predominância de frequentadoras/es jovens e pela antiga tradição dos livros se constituírem como arquitectos de sonhos e motores de mudança, as Bibliotecas Municipais constituem-se como espaços por excelência para a realização de actividades que visem a promoção dos valores da Cidadania e da Igualdade de Género.

Pretende-se, desta forma, lutar contra os estereótipos reprodutores da desigualdade de género e dar maior visibilidade às mulheres na história e na sua afirmação social e política.

O projecto dinamizou, em 2009, debates/conferências em seis das Bibliotecas Municipais de Lisboa no âmbito da temática «As Mulheres no Espaço Público»:


Biblioteca Municipal David-Mourão Ferreira
Biblioteca Municipal Natália Correia
Biblioteca Municipal dos Olivais
Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro
Biblioteca Municipal de São Lázaro
Biblioteca-Museu República e Resistência (Espaço Cidade Universitária)


Brevemente, no Museu do trabalho Michel Giacometti, em Setúbal, junto ao Miradouro da Fontaínhas / no mês de Março, Sábado, dia 6, às 15h, conferência por Isabel Lousada sobre  "As mulheres e a República", parceria com a SEIES)


http://blx.cm-lisboa.pt/fotos/gca/1233313495umar_desdobravel_vfinal.pdf





_____________________________________________________________

Seguidores

Povo que canta não pode morrer...

Beirute.Nantes

Loading...

Arquivo do blogue

Pesquisar neste blogue

Acerca de mim

A minha foto

"A coisa mais fina do mundo é o sentimento. " (Ensinamento) Adélia Prado